BREVE FESTIVAL É PIONEIRO NA CENA CULTURAL DE EVENTOS EM MINAS GERAIS

Últimas

BREVE FESTIVAL É PIONEIRO NA CENA CULTURAL DE EVENTOS EM MINAS GERAIS


O evento que reuniu aproximadamente 50 mil pessoas no Mineirão, aconteceu sábado, 09 de abril

Breve Festival estava marcado para acontecer em 2020, foi adiado por causa da pandemia e finalmente aconteceu nesse último sábado, 9 de abril. A terceira edição ficou marcada pela mudança de local, antes o evento acontecia no Mirante – outro espaço de eventos em Belo Horizonte, esse ano no Mineirão o festival cresceu e agregou nomes ao line up que enchia os olhos de todos durante os 2 anos de espera para acontecer.

Nomes como Gal Costa, Ney Matogrosso, O Grande Encontro, Duda Beat, Glória Groove, Ludmilla, Racionais, Silva, Djonga dominaram os 2 palcos principais que estavam localizados na esplanada do estádio do Mineirão. O festival também tinha um terceiro palco na esplanada chamado Radar, que dava oportunidade para novos artistas participarem e se apresentar.

O quarto palco, voltado para música eletrônica, chamado Breve Club estava no gramado do estádio.



Breve Festival O festival foi dividido entre 2 áreas, pista e camarote. Para quem foi na pista, a experiência não tão positiva em relação à portaria, acessos e consumo, de nenhuma forma apaga a emoção de assistir shows icônicos de gigantes com muitas manifestações políticas e trocas com o público, mas com certeza é necessário repensar alguns pontos em próximas edições.

Alguns shows do festival foram transmitidos pela primeira vez pela TNT e Silva exclusivamente pelo Youtube, um marco e tanto para um festival mineiro que crava seu nome no calendário nacional como um dos maiores festivais de Minas e do país. Outro ponto a ser analisado é a diversidade de pessoas, assessibilidade e força do encontro de gerações de artistas da nova e velha guarda e público no geral.

Em poucos eventos culturais conseguimos ver famílias inteiras, pais e filhos curtindo em uma mesma energia, isso é muito positivo. No início da tarde quando o Breve começou, as pessoas não se mostravam desanimadas, mesmo com filas para entrar e uma chuva fraca que logo passou.   Foto: I Hate Flash / Dj Hosh / Divulgação Breve Festival Por 12 horas e 4 palcos, a curadoria artística impressionou e representou muito bem a música popular brasileira. No Breve Club, também impressionou a presença de nomes como Gui Borato, D-Nox e artistas internacionais como Audiofly, Juliet Sikora, Hosh e Juliet Fox.



O Breve Club que ocupou metade do gramado, poderia facilmente ocupar toda a extensão do campo de futebol. Bastante cheio, as pessoas prestigiaram a música eletrônica e realmente foram para curtir e/ou conhecer novos sons. A experiência foi positiva e o Breve Club é sem dúvidas um dos maiores acertos do festival. No camarote, nos intervalos dos shows, Luísa Viscardi fez entradas e não deixava a energia cair.

No geral o saldo do BREVE FESTIVAL é positivo, deixa evidente a força da música, do encontro de gerações e a saudade que as pessoas estavam sentindo de sair de casa e curtir juntas shows incríveis. 

 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem