ENTREVISTA: ÖWNBOSS! CONHEÇA A GRANDE APOSTA DO TOMORROWLAND PARA ESSE ANO

Últimas

ENTREVISTA: ÖWNBOSS! CONHEÇA A GRANDE APOSTA DO TOMORROWLAND PARA ESSE ANO


Em entrevista, Öwnboss nos contou um como recebeu essa notícia mais que especial do Tomorrowland, além de ter nos contato sobre os suportes de Afrojack e Tiësto e, por fim, nos contou no que tem trabalhado e suas expectativas e planos para 2022. Confira!

RTH: Recentemente você foi escolhido para o “20 Of 2022” do Tomorrowland, como você recebeu essa notícia? Como se sente como se sente recebendo todo esse destaque?

Öwnboss: “Foi uma surpresa muito grande, eu estava processando todas as conquistas da Move Your Body e tentando entender tudo com calma, quando do nada o time da Tomorowland me procurou e falou que eu tinha sido selecionado como o 9 dos 20 que eles apostariam pra 2022. Isso é muito importante pra mim, além de eu ser o único Brasileiro a ser escolhido, eu cresci profissionalmente sonhando com a Tomorowland e agora sinto que o sonho está perto. Eu sempre tive a ideia que essas situações aconteciam por “politicagem” e relacionamento forte com managers famosos e etc e fiquei muito feliz em ver que só o meu trabalho fez eu estar lá de forma verdadeira e pura. Tenho certeza que com muito trabalho e fé em breve estarei tocando em um dos palcos deles.”

Não é a primeira vez que você é reconhecido internacionalmente, certo? Você teve um grande suporte do Martin Garrix e do Afrojack. Você pode nos falar mais sobre isso?

Öwnboss: “Nos dias de hoje a internet encurtou muito a conexão e o diálogo entre as pessoas e as coisas acabam acontecendo meio que “do nada”. O Afrojack me chamou no Instagram, pois ia tocar em Mônaco e queria tocar o meu remix de Blinding Lights (Não faço ideia como chegou nele), o que foi muito inesperado levando em consideração que essa linha de Progressive house que eu produzia é totalmente diferente do que ele faz. Fiquei muito feliz e em choque quando vi a mensagem, entendi que tinha algo de único no meu trabalho e tive até que respirar fundo pra conseguir responder e raciocinar direito (risos).

Já o Martin Garrix foi uma situação engraçada, eu mandei a “Move Your Body” primeiro pra label dele (STMP RECORDS), pois achava que o som combinava muito, e como a Spinnin já tinha me recusando inúmeras demos que eu havia enviado, na minha cabeça eles já estavam “desistindo” de mim. Só que aí aconteceu que o A&R deles não viu o email a tempo, então pela demora, acabei enviando pra Spinnin, que na mesma hora já me respondeu o e-mail e enviou pro Tiesto. Logo após que ele (Tiesto) escutou a música, eles imediatamente enviaram o contrato e assinamos com a Musical Freedom. Depois disso eles enviaram a demo da Move Your Body, para todos os “Big names” e o Martin Garrix ao escutar logo se apaixonou pela track e começou a tocar ela em todos os festivais, inclusive nos que ele tinha apenas 1 hora de set, imagina a quantidade de música que ele tem pra tocar e tocar a minha tendo so 60 minutos de set, foi incrível. Acho que o Garrix depois ficou sabendo que eu tinha enviado para a gravadora dele, pois o A&R deles começou a mandar e-mail sem parar, em breve devemos fechar algo.”

A “Move Your Body” tem sido um sucesso nas pistas do Brasil e do mundo, como foi o processo de criação dessa track? Poderia nos falar mais sobre esse vocal “diferente”?

Öwnboss: “Esse vocal foi um achado do Sevek, que é de um sample pack muito antigo, desses que você encontra uma vez na vida. Já o processo de criação foi feito em cima da música do Marc Spence “Nasty” queríamos resgatar o groove dessa música e trazer pra 2022 o que deu muito certo. Já estava procurando uma música coringa com mais pressão pros meus sets e a ideia do Sevek caiu como uma luva pra mim, coloquei minhas ideias em cima e chegamos no resultado final.

Você gosta de trabalhar com várias tracks de gêneros diferentes, como de “Sweater Weather” a “A Cara do Crime”. O que você mais gosta de trazer de fora da música eletrônica para as suas produções e sets?

Öwnboss: “Sempre fui muito eclético e isso acaba refletindo no meu trabalho, eu me sinto muito satisfeito produzindo vários tipos de sons “diferentes” e acho que eu seria um cara triste se usasse uma fórmula igual pra todas as minhas músicas. Eu escuto muita música dos anos 80 e isso me dá alguns “clicks” mentais na hora de produzir. Eu também tento estar sempre com um fone de ouvido mas viagens e escutando coisas novas e aleatórios no Spotify, sempre consigo tirar algo de bom de qualquer música que me prende a atenção.

Recentemente você fez um B2B com o JØRD na reabertura da Green Valley. Como foi poder participar desse momento tão especial?

Öwnboss: “Eu tive a honra de quando mais novo ir nos primeiros eventos do Green Valley e cresci literalmente na pista deles, acompanhei vários nomes gigantescos tocarem lá e o clube sempre fez parte da minha história. Inclusive foi meu principal motivador pra seguir minha carreira como artista, então participar desse momento foi mágico e inesquecível, além de estar tocando ao lado do Jord que é um grande amigo e que tenho muito respeito, realizei algo que sempre sonhei.

Você está sempre trabalhando com grandes nomes da cena nacional, você pode nos dar spoilers dos seus próximos trabalhos?

Öwnboss: “Como a Move Your Body deu esse estouro “não planejado”, eu acabei tendo que cancelar praticamente todos os meus lançamentos antigos, pois comecei a receber muita composição boa das gravadoras grandes e vocais conhecidos já licenciados. Então eu acabei tendo que abrir mão de músicas que já não faziam mais tanto sentido pro meu futuro. Eu tenho um lançamento com o Daft Hill agora em fevereiro e depois “deixa a vida me levar” kkk. Fiz um remix oficial pro Tiesto e outro pro Rapper Kodak Black e to com algumas músicas originais saindo do forno, 2022 vem bastante coisa boa.

O que podemos esperar do Öwnboss para 2022?

Öwnboss: “Sem duvidas muita música boa, tour fora do País e muito trabalho pra conseguir crescer ainda mais no cenário e conseguir ficar relevante pra ajudar outros artistas que acredito. Tenho muito orgulho de ser Brasileiro e de alguma forma estar levando a bandeira do nosso país lá pra fora e isso me motiva cada vez mais a buscar o meu lugar ao sol.

 


 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem