APÓS GUI BORATTO, SÉRIE AUDIOVISUAL DA TROOP TRAZ ELI IWASA EM CENÁRIO ESPETACULAR DE FLORIPA

Últimas

APÓS GUI BORATTO, SÉRIE AUDIOVISUAL DA TROOP TRAZ ELI IWASA EM CENÁRIO ESPETACULAR DE FLORIPA


Set gravado no início do ano será transmitido no próximo dia 16, às 20h30, no canal do YouTube da COMMUN Unity

Depois de fazer sua estreia com o mestre Gui Boratto, a série documental “COMMUN Unity”, idealizada pelo famoso núcleo catarinense TROOP, terá Eli Iwasa como protagonista. A transmissão com a DJ paulista vai ao ar nesta quarta-feira, 16, a partir das 20h30, no canal oficial da iniciativa no YouTube

Gravado há poucos meses, o set com Eli vai trazer as imagens deslumbrantes da Fortaleza de Santo Antônio de Ratones, que fica na ilha de Ratones Grande, em Florianópolis.

Com patrocínio da perfumaria Espirito Bird, a “COMMUN Unity” trará no total 18 episódios com artistas brasileiros que são referência em seus respectivos nichos dentro da música eletrônica, para a primeira temporada, e na segunda temporada com artistas de outras vertentes musicais, executando sua arte em cenários incríveis da região da Grande Florianópolis.

O primeiro episódio, transmitido no dia 19 de janeiro, trouxe Gui Boratto e sua aclamada performance live na Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim. Assista abaixo:

A “COMMUN Unity” conta ainda com patrocínio da perfumaria Espirito Bird, direção artística e roteiro de Gustavo Brazzalle e Caetanno, produção executiva de Caetanno,, drones de Gustavo Remor, efeitos visuais do E S T U D I O_desencanto e filmagem e edição da KRIYA Films. Além da prefeitura de Floripa, o projeto também tem apoio da Selina, do WK Design Hotel e da Universidade Federal de Santa Catarina.

Previsto para março, o próximo episódio será com o DJ Mau Mau, em performance na Praia Mole.

Sobre a TROOP

Com o intuito de promover vertentes mais conceituais da house music em Florianópolis, Caetano e Pedro fundaram a TROOP em 2013. Em seus eventos, foi se desenvolvendo cada vez mais a ideia de abraçar não apenas DJs, como também VJs, designers, ilustradores, tatuadores, grafiteiros e estilistas. 

Ao longo de oito anos, o núcleo se consolidou, já tendo escalado Fred P, Janeret, Ryan Elliott, David Delgado, Patrice Scott, Daniel Bell, Ion Ludwig, Thomas Melchior, Moodymann, XDB e expoentes nacionais como Renato Cohen, Aninha, Nomumbah, Kaká Franco, Idee aka Renee, Konnin, Stekke, Gromma e Gop Tun DJs.

O foco é claramente a música, sendo aberto em paralelo perspectivas de convivência como feira de discos e exposições. Os locais nos quais os eventos já se instalaram, como o Bar do Deca, a Praia Mole e o Bud Basement, são provas desse desejo de integrar espaços e públicos para uma vivência intensa, lúdica e horizontal.

Sobre Eli Iwasa

Quando se fala em música eletrônica nacional, Eli Iwasa é logo mencionada, seja por seu pioneirismo ou pelo feito de se manter ativa nesta cena há mais de 20 anos. Além de tocar em importantes eventos como Rock In Rio e Time Warp, Eli é sócia dos clubs Caos e 88 — localizados em Campinas e que ajudaram a moldar a cena eletrônica do interior paulista —, modelo do casting da Ford Models e vocalista no projeto paralelo Bleeping Sauce, ao lado do produtor Marco A.S.

Já foi a única jurada brasileira no Amsterdam Dance Event (maior conferência de música eletrônica do mundo, em Amsterdã) ao lado de lendas internacionais como Todd Terry, Dave Clarke e Joseph Capriati, em um concurso de produtores, e tocou na festa da label Life and Death (uma das mais icônicas do Velho Continente). Em 2019, ganhou um episódio na série “Quando Elas Tocam”, do Canal BIS, foi indicada por três anos consecutivos ao prêmio de melhor DJ do ano pelo Women’s Music Event Awards (maior premiação feminina do país) e foi votada a segunda melhor DJ no Top 100 DJane em 2020.

Durante a pandemia, se reinventou, lançou o Podcast Play, fundou a Galerìa 1212 junto aos sócios e agora começa a rodar o Brasil com o projeto inovador Closer.


 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem