Falando de música com Acrobatik

Últimas

Falando de música com Acrobatik


Acrobatik é o projeto musical criado por Lucas Lyra, jovem do interior de São Paulo, formado em produção musical.

Em pouco menos de um ano de projeto, o jovem já conta suportes de Illusionize e Dj Glen, além de seus lançamentos nas gigantes elevation, fluxo e Thewav, e já tendo sua track “angels cry” assinada pela prototype para lançamento previsto em junho.

Hoje vamos trocar uma ideia sobre suas conquistas, planos, produção musical e o principal: seus lançamentos que tem sido cada vez mais sólidos.

1 – Salve Acrobatik, muito obrigado por topar essa entrevista/bate papo com a gente. Queremos começar perguntando: de onde surgiu essa paixão pela música e com que idade passou a pensar na possibilidade de estudar produção musical e seguir uma carreira profissional dentro da música?

Primeiramente muito obrigado pelo convite, estou muito feliz em participar desse bate papo com vocês.
Comecei a me envolver na música eletrônica com uns 13/14 anos, na época eu tinha alguns amigos que gostavam muito e foram me apresentando o gênero.
Em 2016 com 15 anos de idade, ganhei uma controlado dos meus pais, logo já quis começar a tocar e depois que toquei em minha primeira festa, já tinha certeza que queria viver disso e aí surgiu a vontade de tocar minhas próprias músicas.

2 – Como foi seu início na produção musical e quais são os VSTs e Plugins que você mais utiliza na produção?

Eu comecei a estudar produção musical na AIMEC, mas entrei lá sem nem saber mexer no ableton, lá eles me ensinaram quase tudo sobre o software e bastante sobre produção musical.
Eu não sabia quase nada de teoria musical, então comecei a estudar teoria e produzir todos os dias.
Em 2019 entrei na faculdade de produção musical na anhembi e foi nessa época que minhas produções começaram a melhorar, foi quando comecei a ter uma rotina mais concreta de produção, além de produzir com amigos que me ensinaram muito.
Meus VST’s favoritos são Serum, diva e Ana2, plugins eu uso bastante os nativos do ableton, os da Valhalla e soundtoys.

3 – Visto que suas músicas tem nomes diferentes do ”padrão”, queremos saber: de onde você tira a inspiração para a temática e os nomes das suas faixas? O que te traz inspiração na hora de produzir?

Para ser bem sincero na maioria das vezes acho mais difícil dar nome para a track do que produzir ela.
Em questão a inspirações na hora de produzir, minhas músicas dizem muito sobre o momento que estou vivendo, é onde consigo me expressar e mostrar minha verdade.
Observar a noite e a natureza são situações que me trazem muitas inspirações, além das festas é claro.


4 – Qual você acha que é o caminho para ganhar suporte de grandes nomes da cena nacional como DJ Glen e Illusionize? Foi algo natural ou você trabalha com estratégicas de marketing pra isso?

Os suportes foram acontecendo de forma bem natural, acredito que o caminho para ganhar bons suportes é produzir uma boa música, e fazer com que ela chegue em quem você acredita que vá curtir. Óbvio que uma boa estratégia de marketing facilita isso, e as vezes a música acaba chegando em quem você nem imaginava, e gerando suportes.

5 – Quais são suas principais influências musicais dentro e fora da cena eletrônica? Quais gêneros mais te influenciam?

As minhas principais influências dentro da cena são: Artbat, Innellea, Adriatique, Binaryh, Tale of us e WhoMadeWho.
Já em outros gêneros, tenho muita influência do rock: Linking park, Van Halen, System of a down e Nirvana.


6 – Sabemos que todos os artistas precisaram se reinventar nesse momento de pandemia. Mas queremos deixar esse assunto de lado e saber: Quais são os próximos planos e lançamentos do Acrobatik? Quais são suas perspectivas para o retorno dos eventos?

Meus próximos planos são continuar lançando minhas músicas nas gravadoras que sempre quis, alcançar as big labels internacionais e estruturar o projeto para quando acabar a pandemia estar tocando nos eventos que sempre sonhei. Sinceramente não imagino quando será o retorno dos eventos, não estou pensando muito nisso agora pois ainda acho que vá demorar bastante, estou focado no estúdio e em continuar produzindo minhas músicas.

Instagram
Facebook
Soundcloud
Beatport

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem