CONHEÇA MAIS SOBRE O CERCLE PELO OLHAR E EXPERIÊNCIA DO FOTÓGRAFO BRASILEIRO, RAUL ARAGÃO

Últimas

CONHEÇA MAIS SOBRE O CERCLE PELO OLHAR E EXPERIÊNCIA DO FOTÓGRAFO BRASILEIRO, RAUL ARAGÃO


Indo além do conteúdo audio visual

Locações paradisíacas e artistas escolhidos sob medida, talvez esse seja somente um dos conceitos que o Cercle carrega em cada um dos seus conteúdos disponíveis no Youtube.

Durante a pandemia, tivemos a honra de assistir apresentações que enchiam nossos olhos de emoção e curiosidade por querer explorar a imensidão do nosso planeta. Entre os conteúdos disponíveis, um dos meus preferidos é sem dúvida o do DJ e produtor Ben Böhmer, na Capadócia, talvez pelo momento em que eu me encontrava, escutando suas músicas diariamente no repeat.

Mas podemos ir um pouco além e babar literalmente no Who Made Who, em Abu Simbel, no Egito. E quem não se lembra ainda do ARTBart no Pão de Açúcar, e o SolomunThe Martinez BrotherBoris BrejchaBlack CoffeeFKJ e muitos outros artistas que com certeza não eram tão conhecidos e através do Cercle reverberaram sua música para o mundo.

Conversamos com o fotógrafo brasileiro Raul Aragão sobre a sua experiência e envolvimento com o Cercle e como ele enxerga o projeto além da entrega audiovisual.

“A minha relação com o Cercle foi quase por acaso. Em 2019 estava no meio de uma grande ressaca, exausto na cama logo após a semana de carnaval, quando entraram em contato comigo perguntando se eu poderia fotografar o evento que rolaria com Artbat, na estação do bondinho do Pão de Açucar. Desde então rolaram convites e algumas oportunidades que eu me meti para colaborar com o projeto. Eu, antes de mais nada, sou muito fã do projeto e me sinto honrado de participar de algo que está transformando a música eletrônica.”

O Cercle ele vai além do audiovisual, o que fez com que Raul aprendesse muita coisa com a equipe que íntegra o projeto. “Tudo deles é catálogado, é bizarro, eles viajam com diversas cases, tudo muito bem planejado e calculado. ´´É bem diferente ver o entretenimento de perfeito dessa forma. Estamos acostumado, e mal acostumados diga-se de passagem, com as coisas muito soltas aqui no Brasil. Fazemos entregas incríveis, mas que mereciam um devido carinho muito maior.” completa Raul

O fotógrafo que busca em suas viagens explorar cada lugar e observar através de suas lentes cada pessoa, afirma que dá sim para se envolver em projetos sócio ambientais e se divertir.

Raul já participou de diversos festivais ao redor do mundo como Tomorrowland, Ultra, Coachella, Yacht Week, Burning Man, Afrika Burn e ainda sim ele afirma que o Cercle é conversa com tudo que ele acredita e gosta de trabalhar, por isso tem tanta admiração e carinho pelo projeto.

Quando questionado sobre qual o Cercle preferido, Raul define como muito difícil dizer. “Até porque a experiência é completamente diferente quando se tem público. WhoMadeWho no Egito foi praticamente um sonho, já Boris Brejca no Grand Palais foi tudo que eu mais amo de um evento. Enfim, todos eles são INCRÍVEIS. E o profissionalismo da equipe é fundametal para que isso aconteça.”

Em sua experiência em Abu Simbel, Raul conta que a equipe sempre o deixa bastante a vontade, além de serem muito gentis quando ele tenta fazer coisas novas. A sua entrega pra eles, no entanto, é muito simples, com poucas fotos. Em Abu Simbel ele usou sua câmera, a 5D Mark 5 e o drone Mavic Pro 2 . Mas ele ainda tinha outras cartas na manga que sequer teve a oportunidade de usar. “Quando não se tem público a mobilidade fica muito restrita.”

Além dos Cercle do ArtBart e WhoMadeWho, Raul já participou do Boris Brejcha, o festival do Cercle que teve Solomun como headliner, MathameMind Against e os mais recentes, BLOND:ISH e Above & Beyond. A sua próxima experiência será na segunda-feira, 24 de janeiro, no Museu do Amanhã, onde o DJ e produtor brasileiro, Vintage Culture irá se apresentar. O evento será aberto ao público e é um dos mais aguardados pelos fãs da música eletrônica.

No ano passado, o Cercle realizou a sua primeira exposição na Galeria Joseph, em Paris. A exposição foi uma experiência imersiva excepcional, onde imagens exclusivas dos mais belos shows do Cercle estiveram disponíveis para o público.

São 5 anos de aventuras, e o Cercle buscou mostrar um pouco dos artistas e dos bastidores de cada gravação. A exposição foi nos dois andares da galeria com aproximadamente 850m2.

Claro que as fotos de Raul foram selecionadas e fizeram parte da exposição!



 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem