MOCHAKK E MKJAY LANÇAM O ÁLBUM “THE REJECTED DUBS VOL 1” COM MUITA PERSONALIDADE E IRREVERÊNCIA

Últimas

MOCHAKK E MKJAY LANÇAM O ÁLBUM “THE REJECTED DUBS VOL 1” COM MUITA PERSONALIDADE E IRREVERÊNCIA


É uma obra bem completa, que passeia por diversas vertentes que são referências para os dois artistas na hora de produzir música

Fazendo releituras de clássicos nacionais e internacionais para a pista, explorando euforia e extroversão em algumas faixas, e introspecção e tranquilidade em outras, Mochakk e Mkjay se juntam para lançar o álbum “The Rejected Dubs Vol.1”. Uma coletânea de 12 edits que vão do Soul ao Jazz, do Blues ao Hip-Hop, até ao Indie. É o primeiro álbum da carreira dos dois artistas. E para comemorar o lançamento, os CDs autografados do álbum também estarão disponíveis para compra. O lançamento acontece no dia 19 de novembro e também contará com um clipe da faixa principal do álbum, a música “Concrete Jungle” do Bob Marley, com a releitura da cantora Céu.

O CD tem uma história muito interessante por trás de seu nome e origem. O termo “Dubs Rejeitados” se deve porque ele foi feito em formato de “dub edits”, que é nada menos que deixar a música original tocando e um criar uma base, uma linha de baixo de bateria para acompanhar, sem interferir na canção original. 

Além disso, seriam músicas que segundo o produtor Mochakk, eles não iriam tocar: “seriam músicas que iam ficar guardadas na gaveta e a gente decidiu lançar. Começamos a fazer aos poucos, bem no começo da pandemia. Aí quando foi pra valer, fizemos logo umas nove delas em uma noite só e o resultado foi esse.”

É uma obra bem completa, que passeia por diversas vertentes que são referências para os dois artistas na hora de produzir música. Fazendo uma análise da sonoridade do álbum, é possível observar que o álbum começa com uma releitura de um clássico do Reggae, a canção “Concrete Jungle” do Bob Marley interpretado pela cantora Céu. 

Depois o álbum caminha entre o Indie, R & B, Soul, e vai até o Hip Hop com releituras de músicas de artistas como Dr Dre, Tupac e Notorious Big:” Além dessas sonoridades, temos Jazz, MPB. É algo que durante toda a minha carreira eu nunca tinha conseguido explorar. A gente até brincou que daria para fazer um set só desse álbum. O Mkjay é um artista que me apoiou desde o ínicio da minha carreira então está lançando esse trabalho com ele é muito gratificante para mim.” completa Mochakk

As músicas foram feitas bem no início da pandemia. De acordo com os artistas, além de lançar essas releituras no formato digital, os produtores decidiram lançar 50 CDs que serão distribuídos para pessoas que apoiam e trabalham com os dois projetos, e outra parte será posta à venda como ítem de colecionador, algo pensando em trazer mais exclusividade para quem quiser ter a obra: “Decidimos fazer uns CDs que ia ficar mais bacana. Fizemos todas essas músicas na pandemia, nos quatro primeiros meses. Vai ser lançado nesse formato também para gente ter esse sentimento de ter algo físico, algo que as pessoas que curtem nosso trabalho possam guardar.” finaliza Mkjay

Diversidade e pluralidade, sem dúvidas, são os principais adjetivos para definir essa obra que só soma e agrega com a cena da música eletrônica brasileira. Um verdadeiro passeio entre sonoridades de diversos estilos musicais e que são referência para os dois artistas:” Quem ouvir o álbum pode esperar músicas mais reflexivas, mais dançantes, mais envolventes, pode esperar tudo que é tipo de som. São nossas influências, nossos fãs vão conhecer muitas das nossas influências de fora da música eletrônica, que são as que mais aparecem no nosso som. O público vai entender muito dos dois projetos a partir desse álbum.” finaliza Mochakk.

 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem